escrever

 Sempre quis escrever um livro, mas já sei que não sou tão boa assim, eu sempre acabo acrescentando coisas desnecessárias, que fica até chato quando vou reler. Começo uma coisa e nunca termino, já viu quantos rascunhos tem nos meus documentos? Perdi a conta. Nunca fui boa em redação e você sempre encontrava um erro de português, mas era porque eu também não gostava de ler, sempre fui desatenta e não seria diferente com as leis ortográficas. A professora falava, faça uma redação com um tema: férias, mas a ideia sempre era de qualquer outra coisa, menos férias, porque ela não passava logo tema livre, nem sempre a gente tem imaginação para o tema proposto.

 No tempo de escola eu sempre tive agendas, adoro essas que vem com folhas enfeitadas e adesivos, tenho todas guardadas até hoje, e sempre são recheadas de frases e textos, lembro que ia na biblioteca atras de livros do Vinicius de Moraes, ia na lan house para imprimir seus textos, até meus desenhos era bonitos. Não sei porque esse dom de escrever não surge comigo de forma alguma, já tentei editar alguns dos meus diários, escondendo nomes e acrescentando algo a mais, mas tudo era tão clichê, eram importantes para mim já que vivi tudo aquilo, mas para outras pessoas não me parecia o bastante, tinha que ter mais, tinha que ter mais brigas, romance, amizade, mais ação e ficção, é disso que os leitores gosta, certo?

 Nesse impasse de livro não passar do word, fico até hoje a desabafar em textos sem graça e sentido que poucos ou ninguém entende. Sei que são coisas que quero, mas que não são para mim

Deixe um comentário